example graphic

Futebol, a outra paixão de Osmar. A Música não tem ciúmes.

example graphic

Uma das paixões de Osmar, se realizou: A Música. No SAMBATUQUE BRASIL. Mas o outro desejo, vocação da infância e juventude, o Futebol, teria de aguardar mais um pouco. Desde criança, Osmar jogava “peladas” em Paraty. Apesar da “raça”, do seu voluntarismo, sempre elogiado, e, também, da boa técnica e visão de jogo, não se profissionalizou como jogador de futebol. O pai não o estimulava a seguir tal carreira. Precisava dele no restaurante da família. Mas Osmar não abandonou o Futebol. Se não pôde ser jogador, de outras formas haveria de atuar. example graphicE a escolhida foi a de incentivar e apoiar jovens brasileiros a brilhar no seu país e em campos estrangeiros.E foi, com a Música, através da Música, que Osmar também conseguiu sucesso no Futebol.O excelente conceito que adquiriu no meio musical, sua conduta, sua correção pessoal e profissional, sua simpatia, companheirismo e solidariedade, fazendo amigos e bons relacionamentos, lançaram Osmar Oliveira como empresário no mundo do Futebol, reconhecido e respeitado no Brasil e na Europa.A partir do seu trabalho exitoso como Músico, Osmar lançou-se no mundo do Futebol e construiu, não apenas o seu sucesso, mas, principalmente, o sucesso de outros brasileiros, no Brasil e na Alemanha. O primeiro atleta a receber o apoio de Osmar de Oliveira foi o paratyense Paschoal, grande goleiro, conhecido como “Mãos de Ouro”, em virtude das belas defesas que fazia. Em 1975, Paschoal, como goleiro do Clube América Mineiro, foi considerado, pela Imprensa especializada, “O melhor goleiro de Minas Gerais”, estado brasileiro. No Brasil, Paschoal foi jogador profissional do Radium Futebol Clube, da Esportiva de Guaratinguetá, do Juventus de Elói Mendes, do Flamengo de Varginha, do Alfenense e da Sociedade Esportiva Guaxupé.O maior feito de Osmar de Oliveira no Futebol foi conhecer, através de um primo, as impressionantes habilidades com a bola de um jovem de dezoito anos, de Mogi das Cruzes, São Paulo. Esse jovem chama-se Cacau. Osmar trouxe-o, em 1999, para fazer testes no futebol da Alemanha. Pelas mãos de Osmar de Oliveira, Cacau tornou-se ídolo na pátria de Beckenbauer. Cacau começou no Türk Gücü München, um time da quinta divisão do futebol alemão. Osmar empenhou-se junto à Federação da Alemanha para que o brasileiro pudesse usar o apelido “Cacau”, como nome profissional, gravado na camisa do Clube que jogava. Pelas normas alemães, ele teria, na camisa, obrigariamente, o nome “Barreto”. Foi Osmar de Oliveira que preparou o menino de Mogi das Cruzes, para a Cidadania, o Esporte, a Profissão, as Conquistas. Osmar lhe deu todas as condições, como indivíduo e atleta, para que ele pudesse se transformar num jogador de sucesso, que o levaram à Primeira Divisão do Futebol Alemão. Osmar administrou e conduziu, com honestidade e profissionalismo, com o carinho e a dedicação de um pai, a carreira meteórica de Cacau. Incutiu-lhe os valores da disciplina e do respeito desportivo. Ensinou-lhe como as lições das vitórias e derrotas podem elevar o Homem e o Atleta. Abriu, para ele, os caminhos pessoais e profissionais para que ele revelasse os seus talentos, e, rapidamente, chegasse ao ápice do Futebol alemão. Jogou no F. C. Nürnberg por dois anos e, graças às suas boas atuações, foi contratado pelo VfB Stuttgart, onde se destacou como grande artilheiro, chegando à Seleção de Futebol da Alemanha, disputando a Copa do Mundo de Futebol na África do Sul, em 2010. Quando substitui Klose contra a Austrália, assinalou o gol mais rápido de todas as Copas. Em 2011, Cacau recebeu, do Governo Alemão, o Prêmio Integração como grande personagem do Esporte neste País, na condição de imigrante que se integrou, perfeitamente, à Cultura e à Sociedade germânica. Mais um trabalho de Osmar Oliveira, que lhe deu as primeiras aulas básicas da Língua e o orientou não apenas na carreira, mas, também, para a vida e o convívio no País. Em 2015, Cacau, ao lado de Klose e Klinsmann, foi um dos indicados ao Título de Embaixador do Futebol Alemão no Exterior(Deutsche Fußball Botschaft) sendo representado, em solenidade no Parlamento, em Berlim, por Osmar de Oliveira. Estas duas distinções foram, sem dúvida, resultado, em parte, reconhecido por todos, pelo setor futebolístico e pela mídia, do trabalho sério e persistente de Osmar Oliveira. Em seguida, atuou no no Cerezo Osaka do futebol japonês. A história vitoriosa de Cacau como jogador profissional de futebol deve-se, em grande parte, à correção e à proficiência de Osmar Oliveira, que planejou e administrou, magnificamente, durante quatorze anos ininterruptos, a ascensão e glória do garoto de Mogi das Cruzes, nos campos de todo o mundo. Osmar de Oliveira, o competente administrador da trajetória de Cacau, seu grande amigo e conselheiro.